Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

riscos_e_rabiscos

.

.

Gajas Oferecidas

Chegamos a casa e elas estão sossegadas no seu canto a mirar-nos sub-repticiamente.

Nós temos consciência do seu apelo, de que estamos a ser observadas ao pormenor.

 

Passamos por elas mas ignoramos. O seu convite é escandalosamente explícito. Mas nós nem de soslaio permitimos uma troca de olhares.

 

Sentimos o seu calor e a sua voz a soprar-nos ao ouvido “come-me”. Paramos, pensamos duas vezes, sacudimos a cabeça e prosseguimos com a nossa vida.

 

A nossa memória relembra-nos o quanto elas são doces, meigas, deliciosas. Começa a passar-nos pela cabeça se devíamos aceitar o seu convite. Sentimo-nos entre a espada e a parede: manter-nos na nossa ou alinhar na delas?

 

Aquele cheiro peculiar que nos enlouquece, o seu toque suavemente doce que faz as nossas papilas gustativas vibrar. Começamos a ceder, a não conseguir resistir…

 

O apelo torna-se cada vez mais intenso. Já não nos sai da cabeça aquelas palavras “come-me”, lambe-me”, “quero sentir o toque da tua boca”.

 

E é então que perdemos completamente a cabeça e decidimos avançar. Vamos de cabeça!

Esquecemos tudo por uns momentos, metemo-las à boca e saboreamo-las com uma intensidade orgásmica.

Atacamos o pacote com toda a força e vontade e tentamos dizimá-las de uma só vez.

 

Malditas bolachas! Só gostava de saber quem é que inventou estas marias… ainda por cima minis! Nem é preciso trincar, é só enfiar na boca! Como se isto não bastasse, ainda colocaram chocolate no fundinho das bolachas. Isto faz-se?! E ainda por cima têm um pacotinho portátil. É muita maldade junta, oh se é!!!

 

Acho que vou processar os gajos cujos preços são mini e que vendem estas gajas!

 

                         

 

20 comentários

Comentar post